Buscar em     por     
     Minha Conta/Login | Publicidade | Contato     

     Home    PUBLICAR   CADASTRO   Pets Brasil   Postais   Busca RS   Ajuda










  Categorias

Ver Todas as Categorias

Procurar por municípios


  Serviços

Procura um novo amor? Cadastre-se grátis no Cupido BR

Mande postais gratuitos do RS e de todo o país. Agende eventos


  Destacados


Dr. MARCO TÚLIO VICHINSKI ROCHA



     

Você está na seguinte Editoria:   Home > Notícias > Geral

Sulpetro se opõe a projeto de lei

Comentários | Adicionar a Favoritos | Enviar a Amigos |


Publicação: 30/12/2010

Entidade é contra aumento de biodiesel no diesel no transporte público da Capital

Porto Alegre - Em 22 de dezembro, foi aprovado no plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre o projeto de lei que institui a substituição progressiva de óleo diesel convencional e da mistura de diesel com 5% de biodiesel (B5) para o uso com 15% (B15), aumentando gradativamente até 100%, no transporte público da Capital. A medida, de autoria do vereador Carlos Todeschini (PT), visa a minimizar o impacto ambiental, mas é questionada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Rio Grande do Sul (Sulpetro). Segundo o presidente da instituição Adão Oliveira a modificação irá influenciar no preço do diesel e ignora os problemas que o consumo da mistura ocasiona nos veículos.

“Para o consumidor, esse projeto de lei só traz prejuízo. O biodiesel com 5% já é responsável pela formação da borra nos automóveis e pela oxidação. Por isso, o Sulpetro está trabalhando junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e ao governo federal para resolver a situação”, afirma Oliveira. Segundo ele, “cada vez que adicionar mais biodiesel ao diesel, o valor do diesel aumentará, refletindo no custo da tarifa do transporte público. O cliente, quando perceber que o diesel tem valor mais acessível em outros municípios como Canoas, Cachoeirinha, Alvorada ou Guaíba, irá abastecer neles e retornará a Porto Alegre. Desse modo, a poluição na Capital não será eliminada”.

Conforme o presidente do Sulpetro, a entidade entrará em contato com o prefeito José Fortunati nos próximos dias. O objetivo é mostrar os motivos para que não seja sancionada a lei. “Não é de um momento para outro que se realiza o acréscimo de 15% de biodiesel pensando apenas na melhora ambiental”, conclui.


Por: Morgana Laux

Data: 30/12/2010

 

Contato: (51) 3268-5252

 

E-mail: morgana@influence.com.br



Fonte:  



Fotos Adicionais



Classificação Média dos Visitantes:    0.00 (até 5)
Número de votos: 0 Votos

Vote no artigo:
 Comentários dos visitantes (0)
escreva um comentário (NÃO é para contatar o site)
(Não foram encontrados comentários. O seu pode ser o primeiro!)




 
     

 


Mapa do Site | Termos de Uso | Política de Privacidade | Fale a Seus Amigos |

Copyright © 1995-2014, Infomídia Produções. Todos os direitos reservados.
Este é um site de divulgação sobre o Estado do Rio Grande do Sul. Quer contribuir? Sua contribuição será muito bem-vinda.