Buscar em     por     
     Minha Conta/Login | Publicidade | Contato     

     Home    PUBLICAR   CADASTRO   Pets Brasil   Postais   Busca RS   Ajuda










  Categorias

Ver Todas as Categorias

Procurar por municípios


  Serviços

Procura um novo amor? Cadastre-se grátis no Cupido BR

Mande postais gratuitos do RS e de todo o país. Agende eventos


  Destacados


Dr. MARCO TÚLIO VICHINSKI ROCHA



     

Você está aqui:   Home > História Gaúcha > Temas Diversos > O Gaúcho > Origem da Palavra

A origem da palavra gaúcho

Comentários | Adicionar a Favoritos | Enviar a Amigos |


Page Views: 2478
Publicação: 08/09/2007

 Pode uma palavra que define toda uma cultura e modo de vida não ter explicação plausível para sua origem? É o que acontece com a palavra "gaúcho". Se alguém pudesse reunir os mais respeitados filologistas e historiadores que se dedicaram à questão em uma sala, chegaria a uma conclusão simples: ninguém sabe de onde a palavra veio.
 
 Isso não significa que sua origem não tenha sido pesquisada. No Rio Grande do Sul, na Argentina e no Uruguai, estudiosos das mais variadas áreas tentaram achar a sua origem. O escritor uruguaio Buenaventura Caviglia Hijo provavelmente foi o que fez a pesquisa mais extensa. E listou 36 possíveis origens da palavra, segundo autores argentinos, uruguaios e brasileiros. Entre as línguas apontadas como dando origem a ela, estão o português, o tupi, o guarani, o árabe, o castelhano, o araucano, o charrua, o latim, o gitano, o alemão, o francês, o inglês, o aimará, o hebraico, o quíchua... e mais algumas. Uma das "possíveis" origens é a palavra garrucho, que define o portador de uma garrucha ou garrocha (lança usada para cortar o jarrete do gado).
 
 Assim, se alguém perguntar a um gaúcho o que significa o termo, ele poderá responder, de consciência limpa: "Gaúcho é algo impossível de definir". Dessa maneira, além de estar dando uma resposta aparentemente "profunda", estará escapando de explicar que, na verdade, nem os gaúchos sabem de onde veio o termo. E, como diz Carlos Reverbel, em seu livro denominado "O Gaúcho", talvez o melhor seja mesmo aplicar ao problema o ditado (gaúcho, por sinal), de que não se deve gastar pólvora em chimango e, ao invés de discutir a palavra, se fará melhor em tentar entender a cultura e a história do povo dos pampas.


Fonte:   Lígia Gomes Carneiro





Fotos Adicionais


Classificação Média dos Visitantes:    3.00 (até 5)
Número de votos: 1 Votos

Vote no artigo:
 Comentários dos visitantes (0)
escreva um comentário (NÃO é para contatar o site)
(Não foram encontrados comentários. O seu pode ser o primeiro!)




 
     

 


Mapa do Site | Termos de Uso | Política de Privacidade | Fale a Seus Amigos |

Copyright © 1995-2014, Infomídia Produções. Todos os direitos reservados.
Este é um site de divulgação sobre o Estado do Rio Grande do Sul. Quer contribuir? Sua contribuição será muito bem-vinda.