Buscar em     por     
     Minha Conta/Login | Publicidade | Contato     

     Home    PUBLICAR   CADASTRO   Pets Brasil   Postais   Busca RS   Ajuda










  Categorias

Ver Todas as Categorias

Procurar por municípios


  Serviços

Procura um novo amor? Cadastre-se grátis no Cupido BR

Mande postais gratuitos do RS e de todo o país. Agende eventos


  Destacados


Dr. MARCO TÚLIO VICHINSKI ROCHA



     

Você está aqui:   Home > História Gaúcha > Missões > 4 - Ataques dos bandeirantes

IX - O início do ataque dos bandeirantes

Comentários | Adicionar a Favoritos | Enviar a Amigos |


Page Views: 990
Publicação: 08/09/2007

A formação das reduções não livrou os índios dos ataques dos chamados "encomenderos" que, no lado espanhol, procuravam aprisioná-los para reforçar os contingentes de escravos, especialmente de Buenos Aires e Assunção. E ainda atraiu os bandeirantes, que, procedentes de São Paulo, também procuravam escravos para trabalhos no campo e nas cidades. Atacadas por todos os lados, as reduções não resistiriam muitos anos em sua primeira fase, tendo que alterar a sua geografia.
 
 Os índios não eram "bons" escravos. Historiadores da época calculavam que, de cada cem aprisionados, não mais do que um era de alguma utilidade. A maior parte morria no caminho entre as missões destruídas e São Paulo. Outra parte expressiva não resistia a pestes e doenças e, dos sobreviventes aos primeiros tempos do cativeiro, poucos se prestavam a algum serviço.
 
 Para não se tornarem escravos, recorriam, às vezes, a gestos desesperados, como o verificado nos arredores de Buenos Aires, na primeira metade do século XVI: um grupo de guerreiros refugiado numa fortaleza, matou com as próprias mãos esposas e filhos, lançando-se depois para a morte, do alto de alguns rochedos.
 
 Como os ataques se intensificaram depois dos primeiros agrupamentos em reduções, os próprios jesuítas, em determinada época, passaram a ser vistos pelos índios com muita desconfiança.
 
 Mas a história registra um episódio que eliminou completamente essas suspeitas: depois da destruição, em 1630, das reduções de Santo Antônio, São Miguel e São Francisco Xavier - todas elas na então Província do Guairá, atual Estado do Paraná -, os padres Simão Maseta e Justo Marsilha decidiram acompanhar a caminhada de cerca de 15 mil índios que eram levados como escravos para São Paulo, procurando obter sua libertação e socorrendo os necessitados.
 
 Salvaram apenas alguns, que devolveram às reduções, mas prosseguiram a caminhada. Nos contatos que fizeram em São Paulo, não conseguiram libertá-los; no Rio, quando o governador e capitão-geral do Brasil mandou que fosse feita "imediata justiça", os índios já haviam sido vendidos. Procuraram ainda o governador-geral, na Bahia, mas também sem sucesso. De volta às missões, o problema cresceu.
 
 Os ataques de bandeirantes às reduções jesuíticas no Guairá - ou seja, em território do atual Paraná - começaram em 1618, apenas seis anos após a formação dos primeiros povoamentos. A partir de 1628, no entanto, os ataques passaram a ser feitos por verdadeiros exércitos, devastando-se primeiramente a redução de Encarnación (uma das mais próximas São Paulo, mais ou menos onde se localiza a atual cidade de Telêmaco Borba, na região central do Paraná), seguindo-se as demais.
 
 Como consequência dos ataques, dos cerca de cem mil índios que estavam reduzidos não restaram mais do que 12 mil, concentrados principalmente nas reduções de San Ignácio Mini e Nossa Senhora de Loreto - que não chegaram a ser atacadas -, as mais afastadas. Com a ruína das missões, também as povoações espanholas de Vila Rica e Ciudad Real não resistiram aos ataques e foram devastadas, passando todo o território paranaense ao controle da Coroa portuguesa. Vila Rica foi refundada próximo a Assunção, onde ainda permanece.


Fonte:  





Fotos Adicionais


Classificação Média dos Visitantes:    0.00 (até 5)
Número de votos: 0 Votos

Vote no artigo:
 Comentários dos visitantes (0)
escreva um comentário (NÃO é para contatar o site)
(Não foram encontrados comentários. O seu pode ser o primeiro!)




 
     

 


Mapa do Site | Termos de Uso | Política de Privacidade | Fale a Seus Amigos |

Copyright © 1995-2014, Infomídia Produções. Todos os direitos reservados.
Este é um site de divulgação sobre o Estado do Rio Grande do Sul. Quer contribuir? Sua contribuição será muito bem-vinda.